Volta à página inicial

Pergunta respondida.

Pergunta: O que exatamente Einstein quis dizer como: Deus joga dados com o universo.


Pergunta de: William


Resposta 1:

Daniel, Na verdade Einstein disse "Deus não joga dados com o universo". Ele queria dizer com isso que não se conformava com o carater probabilístico que se dá à posição e momento de uma partícula de acordo com a Mecânica Quântica. Segundo o Princípio da Incerteza de Heisemberg, ao se determinar a posição da partícula seu momento fica automaticamente incerto e vice-versa. O ato de observar interfere no objeto observado.

Resposta de: William Thorlay - Engenheiro - Santo André, S.P.


Resposta 2:

Daniel, a expressão correta foi: "Deus NÃO joga dados com o Universo." Einstein fez esse comentário enfatizando sua opnião contrária à um princípio da Mecânica Quântica. Como se sabe, Einstein também foi "pai" da teoria quântica quando em 1905 explicou o Efeito Foto Elétrico. Acontece que já em 1920, a teoria quântica já estava bem mais evoluída, e tinha sua base solidificada na Mecânica Quântica. Einstein era fortemente contra o Princípio da Incerteza de Heisenberg, por achar que devido a esse princípio, a Mecânica Quântica falhava em explicar a realidade. O que Einstein não aceitava eram as conseqüências desta teoria, que dizia que alguns fenômenos da natureza, e por sua vez, a própria natureza, não eram determinísticos. Quando um fenômeno é determinístico você pode obter qualquer informação dele, desde que se realize um experimento e meça os resultados. Isso pressupôem que (1) os RESULTADOS existam, e (2) que podem ser medidos. A Mecânica Quântica mostrou (e mostra) que nem sempre é assim. Em escalas proporcionais ao comprimento de Planck, experimentos que julgávamos possíveis e totalmente normais se mostram irrealizáveis. Por exemplo, medir a velocidade e posição EXATAS de um elétron em movimento. Isso é uma impossibilidade. Ou você mede precisamente a posição, e automaticamente perde as informações sobre a velocidade, ou mede a velocidade e perde as informações da posição. Basicamente é isso que o Princípio da Incerteza diz. Mais técnicamente falando, ele diz: As incertezas existentes na medida do momento (que é a massa x velocidade) multiplicada pelas incertezas na medida da posição de uma partícula, deve ser maior ou igual do que a constante de Planck dividida por pi. O princípio funciona analogamente com a Energia e o Tempo. Com o Princípio da Incerteza, fundamentos primordiais da Física Clássica, como individualismo de uma partícula, sua posição espacial EXATA, sua energia EXATA e a descrição COMPLETA de suas características ficaram fortemente abaladas. Bem, foi isso que Einstem não aceitava. Ele não aceitava esse indeterminismo. Ele se recusava em não poder saber EXATAMENTE características que julgava estarem SEMPRE presentes com a partícula. Ele achava que a teoria estava fundamentalmente errada, e que algum experimento ira mostrar isso, conseguindo o que ela dizia impossível. Tanto que chegou a abalar gravemente a Mecânica Quântica, quando realizou uma experiência mental "desafiando" seu maior defensor, Niels Bohr. Em meados de 1930, os debates entre Einstein e Bohr atingira novos patamares. Uma empresa química francesa, Solvay, patrocinou uma conferência em Bruxelas para discutir o magnetismo. Einstein viu uma boa oportunidade de mostrar seu mais novo argumento contra a Mecânica Quântica. A essa altura, quase todos os físicos já aceitavam a nova teoria. Então Einstein propôs uma experiência mental, que consistia em uma caixa de metal, com sua parte de cima ligada à uma mola e por sua vez à um suporte bem fixo. A caixa de metal contém um pequeno orifício em um de seus lados, cuja abertura e fechamento depende de um relógio preciso. A posição vertical da caixa é medida por um ponteiro lateral e uma escala métrica, também precisa. Qualquer movimento da caixa, altera sua altura e a marca do ponteiro na escala métrica. A caixa ainda contém luz em seu interior. Com isso a experiência consistia em tentar medir a energia e o tempo EXATOS de um fóton, contrariando a Mecânica Quântica. Parta isso deveriam ser feitos os seguintes passos: (1) Pese a caixa. (2) Espere o relógio abrir o orifício, permitindo a passagem de um único fóton. O relógio registrará o tempo EXATO que isso ocorre. (3) Pese novamente a caixa. Por ter perdido um fóton, ela estrá mais "leve. A diferença de peso será a massa do fóton. que com ajuda de E = mc2, devolve sua EXATA energia. Os peso ainda pode ser medido PRECISAMENTE pelas variações verticais de posição da caixa. Com isso Einstein mostrava que se podia medir PRECISAMENTE a Energia e o Tempo em relação ao fóton, sendo que as influências à experiência eram aspectos construtivos, que pode ser refinados, e não o Princípio da Incerteza. Ao contrário dos físicos mais novos, que não se preocupavam muito com experiências mentais, Bohr ficou MUITO chocado. Tal foi seu espanto, que passou o resto do dia afiormando que Einstein deveria ter se enganado em alguma coisa. Voltou para o hotel pensativo e recluso. No outro dia, Bohr lançou seu contra-argumento, e o fê-lo com rigor e exatidão que faltavam ao universo. Bohr mostrou que Einstein esquecera de sua prórpia Teoria da Relatividade. Ao medir a energia de um fóton, tem-se que medir PRECISAMENTE a posição vertical do ponteiro em relação a escala métrica. Para estar certo de que o ponteiro está em repouso, você tem que determinar que seu movomento vertical é zero. Mas essa variável também está sujeita ao Princípio da Incerteza: quanto mais precisamente você determinar se o ponteiro está em repouso, menos certo poderá estar de sua posição. EXISTE uma incerteza inevitável da altura da caixa, por conseqüência, na ENERGIA do fóton. A essência da experiência é medir a energia do fóton pesando-o, de modo que a gravidade aqui é MUITO importante. A Teoria da relatividade prevê que relógios mais altos andam mais rapidamente que relógios mais baixos. Assim, caso haja incerteza na altura da caixa, que contém o relógio, haverá incerteza também, na altura DO relógio, e por sua vez em corresponde à uma incerteza no TEMPO. Claro que tudo parece grosseiro, mas Bohr forneceu NÚMEROS, e isso foi abalador. Einstein admitiu seu erro, aliás, com esse evento, a sua cruzada para descobrir algum erro na Mecânica Quântica chegou ao fim. No ano seguinte, Einstein indicou Heisenberg ao prêmio Nobel, com uma recomendação muito bonita: "Estou convencido de essa teoria sem dúvida contém parte da derradeira Verdade." Bem, é isso, apenas a física evoluindo.

Resposta de: Rodrigo Eder Lubiana Forrequi - Espírito Santo


Resposta 3:

O primeiro passo rumo à teoria quântica foi dado por Max Planck em 1900, quando este descobriu que a radiação de um corpo incandescente poderia ser explicada se a luz só pudesse ser emitida ou absorvida em pacotes separados, denominados quanta.Einstein mostrou que a hipótese quântica de Planck podis explicar o denominado efeito fotoelétrico,o modo como certos metais emitem elétrons quando atingidos por luz. Porém vinte anos após,Heisenberg,Dirac e Schrödinger desenvolveram um novo quadro denominado de mecânica quântica.Partículas minúsculas não possuíam mais posição e velocidade definidas.Ao contrário, quanto mais exatamente for determinada a posição de uma partícula menos exatamente será determinada a sua velocidade e vice-versa. Einstein nunca aceitou a mecânica quantica, tendo expresso seus sentimentos com a seguinte frase " Deus NÃO joga dados." Ao contrário de sua dúvida . Ele nunca disse que Deus JOGA dados com o universo.

Resposta de: Tadeu D´Avila - Engenheiro - Niterói - Rio de Janeiro


Se quiser comentar essas respostas para elogiar, criticar ou apontar algum engano, use o endereço eletrônico abaixo, citando o número da pergunta ou reproduzindo seu enunciado.